Como acolher a colaboradora após a licença-maternidade

Escrito por: Equipe de Pesquisa e Desenvolvimento Moodar

Confira dicas para conduzir o momento do retorno da licença-maternidade

Apesar de ser um direito, a licença-maternidade costuma ser um período de insegurança tanto para as colaboradoras, como para as empresas. Especialmente o momento do retorno ao trabalho, quando entra em cena o desafio do acolhimento após a licença-maternidade, deve ser uma preocupação da área de Recursos Humanos. Neste conteúdo, listamos dicas preciosas para profissionais de RH apoiarem a colaboradora (e equipe) nesse retorno.

O que é licença-maternidade?

A licença-maternidade também é conhecida como auxílio-maternidade. Definida por um período de afastamento remunerado do trabalho, garantido às trabalhadoras em decorrência do nascimento ou adoção de um filho. Todas as mulheres que possuem carteira assinada ou contribuem para a Previdência Social têm direito ao salário-maternidade, no mesmo valor da remuneração mensal paga pela empresa. O tempo de afastamento da licença garantido na CLT corresponde a 120 dias.

Importante: Não é permitido que a colaboradora assuma as suas atividades laborais antes de finalizar sua licença-maternidade. A empresa pode sofrer punições legais caso solicite o retorno antecipado.

Jornada Dupla não facilita

Segundo pesquisa divulgada pelo IPEA, as mulheres trabalham 7,5 horas a mais do que os homens por semana. Isso porque, em sua maioria, elas também são as responsáveis pelas tarefas domésticas em seus lares. E as responsabilidades das mulheres continuam, ou até aumentam, quando se tornam mães. Algumas mulheres não conseguem seguir os horários comerciais, se desdobram para manter a rotina e conciliar maternidade e carreira.

Ações pensadas pela área de Recursos Humanos são fundamentais para tornar a vida das colaboradoras e suas equipes mais harmônicas. Selecionamos algumas dicas para inspirar você neste desafio:

Dicas para acolher as colaboradoras no retorno da licença-maternidade

O momento de retornar às funções profissionais após a licença-maternidade é marcado por muitas mudanças, tanto na vida da mãe, quanto na rotina de trabalho dentro da empresa. A colaboradora pode estar se sentido insegura, cansada e emocionalmente impactada com as mudanças dos últimos meses. 

É muito importante que a empresa se adapte às novas demandas, como a amamentação no ambiente de trabalho e garantir a conciliação da vida profissional e pessoal sem prejuízos para a saúde da mãe e do bebê.

Comunicação durante o período de licença-maternidade

Enviar mensagens de apoio e incentivo durante a licença maternidade é uma forma de mostrar que a empresa se importa com a saúde e bem-estar da colaboradora e do seu filho. Essa comunicação não deve se limitar a questões burocráticas, mas um contato humano e realmente interessado. Que tal enviar um mimo da equipe para a mãe e o recém-nascido? Uma ação tão pequena, mas que reflete a ideia de que empresa e equipe apoiam essa mãe e seu “novo projeto” de vida.

Horários Flexíveis

Oferecer um programa de retorno gradual ao trabalho é outra forma de acolher a colaboradora. Propondo uma jornada reduzida ou horários flexíveis, ela pode se adaptar gradualmente à rotina e conciliar as demandas com aquelas referentes ao bebê. Essa é uma forma de garantir que a colaboradora retorne ao trabalho sem prejuízo à sua saúde mental e, ao mesmo tempo, dar a continuidade nas atividades da empresa.

Em caso de home office,  as empresas podem definir que as profissionais não precisem cumprir horários determinados, mas sim uma lista de demandas. Com isso, a profissional tem mais liberdade de organizar uma rotina que atenda tanto as suas necessidades, quanto as da empresa.

Ambiente de trabalho

De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, após a licença maternidade, é direito da mulher fazer pausas de 30 minutos cada, durante o horário de expediente, para amamentação até o bebê atingir 6 meses de idade.

Desta forma, a empresa deve garantir um ambiente seguro e saudável para a amamentação e o cuidado do bebê, quando necessário. Isso pode incluir a criação de salas de amamentação e fraldários, e a garantia de que a colaboradora terá esse tempo e espaço durante a jornada de trabalho.

mulher branca sorrindo com um computador na mão. Chamada para o site.

Programas de Acolhimento

O acompanhamento no pós-licença maternidade passa também pelo treinamento e sensibilização da equipe. Incentivar a empatia com esse novo momento da colaboradora pode fazer toda a diferença no modo que ela sente essa recepção.

E claro, a preparação dela para esse retorno é essencial. São muitas as mudanças emocionais, de vida, e rotina.

Aqui na Moodar, as empresas parceiras têm acesso ao Projeto de Integração “Acolher no Retorno: Maternidade”, onde são abordados assuntos como as adaptações com o puerpério, saúde emocional e maternidade, o afastamento da equipe e a sensibilização do time. Tudo conduzido por um especialista da base Moodar.

É a partir de cuidados como esses, com uma cultura organizacional mais humana, que as empresas fortalecem as relações com suas equipes.

Saiba mais sobre nosso trabalho de Desenvolvimento Humano Organizacional e conheça nossas soluções. Converse com a equipe Moodar.

Agende uma Demo

Outros conteúdos:

Ikigai: O que é e como funciona no contexto do trabalho?

Ikigai: O que é e como funciona no contexto do trabalho?

4 Sinais para desenvolver Inteligência Emocional

4 Sinais de que seus colaboradores precisam Inteligência Emocional

O que é escuta ativa e qual a importância na comunicação com as equipes?

O que é escuta ativa e qual a importância na comunicação com as equipes?

...